Sua Majestade, O Bardo

Minha foto
Valença, Bahia, Brazil
Escritor e Professor de Literaturas Anglófonas. Autor do livro "Estrelas no Lago" (Salvador: Cia Valença Editorial, 2004) e coautor de "4 Ases e 1 Coringa" (Valença: Prisma, 2014). Licenciado em Letras/Inglês pela UNEB-Campus Salvador. Falando de mim em outra forma: "Aspetti, signorina, le diro con due parole chi son, Chi son, e che faccio, come vivo, vuole? Chi son? chi son? son un poeta. Che cosa faccio? scrivo. e come vivo? vivo."

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Fotos com Eliana Mara

Lima Trindade, eu e Rodrigo Chagas

Eliana Mara e Eu

Fiquei devendo colocar estas fotos, no lançamento do livro "Fábulas Delicadas", de Eliana Mara.
Leitura ulta-recomendada!!!!

Sobre a Blogtopia

Há um post de Renata Belmonte sobre sua relação com a bloguiverso, na vontade de ter "férias" que nunca se concretizam. Bem, com a correria que tive nestes dias, acabei não comentando lá. Contudo, para mim ocorre o inverso: gosto de ficar mais tempo no meu blog e fico quase doente quando chega o final do mês sem que eu tenha nada novo para postar. Gosto de ver meus textos publicados, ler o comentários, exercitar minha escrita. É uma forma de manter viva minha profissão como escritor. E (por que não?) não deixa de ser uma terapia.

Contudo,prometo colocar mais poemas e contos novos aqui. Ou uma confissão ou alguma coisa mais interessante que meu diário. Quiça mais alguma novidade do Reino de Jambom

Um escritor em crise - Fragmentos de um diario


Trabalho. Ponto de seguimento... ou seria de reflexão? Alguém poderá se perguntar: e daí?.
Não está bem... vamos recomeçar:
Hoje eu estive no Seminário "Enlaçando Sexualidades". Estou gostando porque assim me desligo em pouco do trabalho e me rejuveneço academicamente. Mas falta entregar a monografia... Tem que ver os aldo da Conta-Corrente, há a viagem no final do ano para conhecer a sogra. Há que juntar dinheiro e publicar um livro... Há o relógio de ponto e um mestrado por fazer. E há que estruturar melhor meu futuro...
Enquanto eu vivo como o Gumercindo-Paixão-Burocrata-Padrão, como TODO O MUNDO espera que eu viva uma vida burguesa, há uma vontade louca de jogartudo isso para o alto e querer me dedicar apenas à literatura, como eu gstaria de viver. Faz algum tempo que venho matutando um romance. Um romance sério, adulto, de fundo psicológico e que deverá ser escrito um pouco no estilo contemporaneio, com vários narradores entrecruzando as estórias. Tudo está esquematizo: local, tempo (semana do 11 de setembro de 2001), cinco personagens losers e/ou slackers, citações à Milan Kundera, Nietszche, Karl Marx, Carlos Ribeiro et caterva. Só que escrever aproximadamente 150 páginas, sem um computador descente e meu (cansei de dividir computador com minha família -só estou tendo aborrecimento), sem tempo suficiente para meu seguir meu ritmo, com a formatura pesando um pouco como assombração; praticamente é não ter como escrever.
Nisso me preocupar outra fantasma: ser um escritor de livros imagimários, que vive anunciando obras inconclusas, arauto de promessas que não seriam mais do que notas...
Contudo alguém pdoeria me perguntar: como um socialista reclama do trabalho? O problema não é o trabalho em si, mas a sensação de alienação que o trabalho no mundo capitsalista provoca -aliada com o caos de viver numa metrópole. Diabos! Meu medo é um dia eu me render a esta mediocridade... Nâo vive para isso. Por isso que estou adorando assistir o Seminário. É uma forma de esquecer esta roda-viva. É como se vivesse de novo.
Bem, há de ter paciência. Em todo caso, há ainda o IV Concurso de Poesia da ALER. Será que desta vez eu ganho um primeiro lugar?
Dormir que amanhã ainda terei conferência. Minha esperança que o mundo há de encontrar a redenção pelo socialismo e pelas artes...

Biblioteca do Bardo Celta (Leituras recomendadas)

  • Revista Iararana
  • Valenciando (antologia)
  • Valença: dos primódios a contemporaneidade (Edgard Oliveira)
  • A Sombra da Guerra (Augusto César Moutinho)
  • Coração na Boca (Rosângela Góes de Queiroz Figueiredo)
  • Pelo Amor... Pela Vida! (Mustafá Rosemberg de Souza)
  • Veredas do Amor (Ângelo Paraíso Martins)
  • Tinharé (Oscar Pinheiro)
  • Da Natureza e Limites do Poder Moderador (Conselheiro Zacarias de Gois e Vasconcelos)
  • Outras Moradas (Antologia)
  • Lunaris (Carlos Ribeiro)
  • Códigos do Silêncio (José Inácio V. de Melo)
  • Decifração de Abismos (José Inácio V. de Melo)
  • Microafetos (Wladimir Cazé)
  • Textorama (Patrick Brock)
  • Cantar de Mio Cid (Anônimo)
  • Fausto (Goëthe)
  • Sofrimentos do Jovem Werther (Goëthe)
  • Bhagavad Gita (Anônimo)
  • Mensagem (Fernando Pessoa)
  • Noite na Taverna/Macário (Álvares de Azevedo)
  • A Casa do Incesto (Anaïs Nin)
  • Delta de Vênus (Anaïs Nin)
  • Uma Espiã na Casa do Amor (Anaïs Nin)
  • Henry & June (Anaïs Nin)
  • Fire (Anaïs Nin)
  • Rubáiyát (Omar Khayyam)
  • 20.000 Léguas Submarinas (Jules Verne)
  • A Volta ao Mundo em 80 Dias (Jules Verne)
  • Manifesto Comunista (Marx & Engels)
  • Assim Falou Zaratustra (Nietzsche)
  • O Anticristo (Nietzsche)