Sua Majestade, O Bardo

Minha foto
Valença, Bahia, Brazil
Escritor e Professor de Literaturas Anglófonas. Autor do livro "Estrelas no Lago" (Salvador: Cia Valença Editorial, 2004) e coautor de "4 Ases e 1 Coringa" (Valença: Prisma, 2014). Licenciado em Letras/Inglês pela UNEB-Campus Salvador. Falando de mim em outra forma: "Aspetti, signorina, le diro con due parole chi son, Chi son, e che faccio, come vivo, vuole? Chi son? chi son? son un poeta. Che cosa faccio? scrivo. e come vivo? vivo."

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

palavras ao vento

Palavras ao vento

Era um poema. Ou um conto
Não sei...
Apenas uma vontade de escrever,
Jogar as palavras no branco papel,
Brincar com elas na tela,
Ver o curso nervoso, as teclas em fúrias,
Um não sei que de literatura.
Algum alimento para que o blog não seque de tristeza.
Era para ser um poema. Ou conto.
Um fragmento de diário.
Um capítulo sobre o reino encantado de Jambom.
Mas não poderia de ser mais nada,
Além de palavras ao vento...


Salvador, 18 de novembro de 2010 (12h48 AM)

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Memoria - um conto

Salvador, 16 de novembro de 2010
madrugada (IVhXXVII)

Já madrugada e o escriba ainda está frente do computador. A janela com o seu trabalho (atrasado) está baixa, pois o escriba estava a ver páginas do Orkut. Revia fotos de ex-colegas, amigos próximos que não encontravam a anos. Em algumas fotos a admiração e o espanto dava a tônica: Um esperado botão mirrado e inexpressivo desabrochou espetacularmente em uma orquídea sensual, Uma barriga saliente e decandente aos trinta, casamentos inimagináveis.

Ele olhava saudoso, quase melancólico, os caminhos que foi conduzido as pessoas. Alguns foram médicos que se perderam no mundo. Outros, bacharéis em Direito e Administração, ornavam seus diplomas de faculdades particulares com alguma pequena sinecura conquistada alhures. Quase todo casados e com fotos dos filhos, indicavam que seguiam o rumo do sucesso: casa própria, família constituída, carro do ano, alguma viagem na memória e o cotidiano calmo e pequeno-burguês que certamente será conduzido a uma aposentadoria simples e posterior esquecimento.

O leitor pode imaginar que em breve aquela sessão de nostalgia iria redundar em uma vontade de rever a turma. E foi o que aconteceu. O escriba ameaçou abrir o e-mail e tentar contactar alguém. Marcar um encontro. Talvez fosse melhor ir para a comunidade da antiga escola e deixar uma convocatória. Passou a sonhar acordado, pensando no que iria dizer aos colegas, uma pilhéria, uma comentário - quiça, flertaria com algumas ex-colegas (uma forma de voltar a adolescência e comer a maçã que ele havia desperdiçado).

A solidão da noite dourava ainda mais o passado que se julgava maravilhoso, cobrindo as máculas com um véu de jocosidade. Reencontrar os ex-colegas, que se não viam a mais de uma década, seria o ópio que precisava no momento. Nada de preocupação ou pernilongos. Apenas lembranças falsamente verdadeiras de um tempo que os adultos julgavam bom, porque já não são mais adolescentes ansiosos com a chegada da maturidade.

Só que o sono começou a vencer a saudade e a distância entre os ex-colegas era grande para se tentar algo. Mesmo que quisesse, aquela não seria o melhor horário para localizar alguém com quem não se conversa a muito tempo. É madrugada e há ainda um trabalho a terminar mais tarde, no escritório.

O escriba fechou todas as janelas (sem antes salvar algumas fotos de ex-colegas com trajes de praia) e se preparava para dormir. O sonho traz sempre lembranças melhores do que a memória...

Biblioteca do Bardo Celta (Leituras recomendadas)

  • Revista Iararana
  • Valenciando (antologia)
  • Valença: dos primódios a contemporaneidade (Edgard Oliveira)
  • A Sombra da Guerra (Augusto César Moutinho)
  • Coração na Boca (Rosângela Góes de Queiroz Figueiredo)
  • Pelo Amor... Pela Vida! (Mustafá Rosemberg de Souza)
  • Veredas do Amor (Ângelo Paraíso Martins)
  • Tinharé (Oscar Pinheiro)
  • Da Natureza e Limites do Poder Moderador (Conselheiro Zacarias de Gois e Vasconcelos)
  • Outras Moradas (Antologia)
  • Lunaris (Carlos Ribeiro)
  • Códigos do Silêncio (José Inácio V. de Melo)
  • Decifração de Abismos (José Inácio V. de Melo)
  • Microafetos (Wladimir Cazé)
  • Textorama (Patrick Brock)
  • Cantar de Mio Cid (Anônimo)
  • Fausto (Goëthe)
  • Sofrimentos do Jovem Werther (Goëthe)
  • Bhagavad Gita (Anônimo)
  • Mensagem (Fernando Pessoa)
  • Noite na Taverna/Macário (Álvares de Azevedo)
  • A Casa do Incesto (Anaïs Nin)
  • Delta de Vênus (Anaïs Nin)
  • Uma Espiã na Casa do Amor (Anaïs Nin)
  • Henry & June (Anaïs Nin)
  • Fire (Anaïs Nin)
  • Rubáiyát (Omar Khayyam)
  • 20.000 Léguas Submarinas (Jules Verne)
  • A Volta ao Mundo em 80 Dias (Jules Verne)
  • Manifesto Comunista (Marx & Engels)
  • Assim Falou Zaratustra (Nietzsche)
  • O Anticristo (Nietzsche)