Sua Majestade, O Bardo

Minha foto
Valença, Bahia, Brazil
Escritor e Professor de Literaturas Anglófonas. Autor do livro "Estrelas no Lago" (Salvador: Cia Valença Editorial, 2004) e coautor de "4 Ases e 1 Coringa" (Valença: Prisma, 2014). Licenciado em Letras/Inglês pela UNEB-Campus Salvador. Falando de mim em outra forma: "Aspetti, signorina, le diro con due parole chi son, Chi son, e che faccio, come vivo, vuole? Chi son? chi son? son un poeta. Che cosa faccio? scrivo. e come vivo? vivo."

terça-feira, 17 de abril de 2012

Documento-manifesto da juventude valenciana- A GENTE QUER INTEIRO, NÃO PELA METADE!


Documento apresentado e aprovado no I Encontro da Juventude Unida: Uma Valença Possível, realizado no CEMEP, em 14 de abril de 2012

--------------------------------------------------------------

A GENTE QUER INTEIRO, NÃO PELA METADE!

A gente não quer só dinheiro,
A gente quer inteiro e não pela metade
(…)
A gente não quer só comida
A gente quer comida, diversão e arte.
Comida – Titãs

Durante anos, nossa voz não era ouvida. Fomos considerados imaturos e por isso, nossas opiniões eram descartadas. Nossas demandas ficavam em segundo plano, porque eram vistas como irrelevantes ou que poderiam ser postergadas. Muitas vezes, a preocupação de que “somos o futuro da nação” era apenas um discurso vazio e inócuo, traduzido na prática na velha política do “pão e circo”. Vivenciamos uma cidadania dada pela metade, onde há mais deveres do que direitos.
Mas agora é a hora de mostrarmos nossa cara. Somos a juventude valenciana. Somos do campo e da cidade, da periferia e do centro. Somos 20 mil cidadãos valencianos na faixa de 15 a 29 anos que estamos distribuídos entre estudantes, trabalhadores e desempregados. Somos a faixa da população que mais sofre as consequências do desemprego, da evasão escolar, da falta de formação profissional, das mortes por homicídio, do envolvimento com drogas e com a criminalidade.
Os jovens do campo convivem diariamente com a distância do centro da cidade, que é maior devido ao abandono do poder público. As estradas são ruins e o transporte, precário; dificultando o acesso aos serviços de saúde, à informação e ao lazer. Vive-se no campo com a expectativa do êxodo devido à falta de perspectiva.  A agricultura e a produção de alimentos não são devidamente estimuladas para que haja uma maior geração de renda e qualidade de vida no campo.
No centro da cidade a juventude convive com a falta de emprego e trabalho. Não existem políticas públicas que incentivem o desenvolvimento nem o empreendedorismo. Os bairros periféricos incham, crescem de forma desordenada, desequilibrando o meio ambiente e o convívio social saudável. A educação e a saúde são tratadas no limite das exigências legais e não são vistas como necessárias ao desenvolvimento. Não possuímos políticas públicas de incentivo a prática de esportes, de fomento a cultura e ao lazer. Nossos talentos artísticos, desportivos e culturais são desperdiçados, porque não há projetos que visem o pleno desenvolvimento de suas potencialidades. Espaços de lazer inexistem na cidade, com muitas poucas opções para ocuparmos nossas mentes ¬¬de forma produtiva durante o nosso tempo ocioso – facilitando que as drogas entrem em nossas vidas e prejudiquem nosso amadurecimento.
E agora, quais são os nossos desejos? Onde queremos chegar? Somos interioranos, mas o universo é o nosso limite. Queremos que Valença seja realmente a terra de paz, com mais investimento em educação e segurança pública. Exigimos a intervenção objetiva e clara do poder público. Para tanto, queremos o compromisso efetivo da construção coletiva das políticas públicas, tendo como a garantia do funcionamento da Secretaria Municipal de Juventude e toda a sua estrutura (como Conselho) e a destinação de, no mínimo, 3% do Orçamento Municipal aplicado efetivamente em políticas para a juventude. Enfim, uma secretária municipal de juventude atuante e não apenas decorativa. 
Nós, Jovens Valencianos, precisamos deixar de ser vistos como delinquentes pela sociedade e sim como cidadãos que possuem propostas e demandas próprias, mas que quer colaborar para o progresso de nossa cidade. Nossa contribuição para uma outra Valença possível está sintetizada nos seguintes pontos abaixo:

  1. A qualificação dos equipamentos públicos (como escolas municipais da zona rural e bairros ditos periféricos), dotando-os de uma estrutura com infocentros, quadras poliesportivas, auditórios, entre outros; que supram à carência dos jovens e funcione inclusive nos fins de semana, como Centros Integradores da Juventude.
  2. Melhorias nos acessos entre a zona rural e zona urbana, uma vez que uma depende da outra. 
  3. Requalificação dos nossos pontos de lazer e turismo, como o Guaibim e a nossa Orla Fluvial, e dotar os novos potenciais espaços (como a área das ruínas da antiga fábrica e as cachoeiras locais) de infra-estrutura, organizando e democratizando seu espaço físico, com respeito e cuidado ao meio ambiente, com proteção efetiva da fauna e flora locais. Revitalização das áreas de esportes e criação de espaços para a prática da ginástica rítmica. Criação da Praça do Hip-Hop, aproveitando o espaço no final da Orla Fluvial e que se encontra atualmente abandonado.
  4. Desenvolver mecanismos que permitam que o ensino seja realmente de qualidade, focado na evolução no próprio município e valorizando a nossa região, fazendo com que o jovem não necessite de sair para outras cidades para aprimorar sua formação. Criação de projetos para recuperar o esporte e lazer da nossa cidade, respeitando valorizando nossa cultura. Cursos gratuitos de línguas estrangeiras modernas (inglês, espanhol, etc.) que permite qualificar com mais eficácia o/a jovem valenciano/a.
  5. Lutar para que Valença seja realmente um pólo universitário. Implantação dos campi da Universidade Federal do Recôncavo Baiano e da Universidade Federal do Sul Baiano e fortalecimento do campus XV (Valença) da Universidade do Estado da Bahia. Apoio aos Institutos Federais instalados em nossa cidade.
  6. A garantia da manutenção da Casa do Estudante Valenciano nos diversos centros universitários do Estado, com mecanismos que garantam a sua ocupação e funcionamento de forma democrática e transparente, que atenda a necessidade do/as jovens estudantes os quais não disponham de condições para sua manutenção longe dos seus lares durante seus estudos.
  7. Trazer para a o município de Valença mais pontos de cultura. Criação e Regulamentação do direito da meia-entrada para todos os jovens menores de 30 anos.  
  8. Políticas de incentivo ao desenvolvimento dos talentos locais, tanto no campo esportivo, como no das ciências e das artes. Implantação de cursos livres de artes (música, dança, teatro, circo, etc), que visem à qualificação do jovem artista.
  9. Melhorais no mercado de trabalho para que esses jovens possam ingressar de forma digna no mundo produtivo. 
  10. Políticas públicas de saúde realmente voltadas para a juventude. Um atendimento diferenciado para o jovem na saúde mental, compreendendo que a juventude possui um perfil específico e que precisa ser considerado na hora do atendimento e que permita um tratamento digno e respeitoso para com o paciente.
  11. Pensar a saúde sexual do jovem com seriedade, permitindo que nós possamos vivenciar a nossa sexualidade de forma saudável e responsável.
  12. Que o poder publico reconheça que a dependência química na juventude não é só uma questão de policia, mas também é um problema de saúde publica e que e preciso um tratamento mais humanizado e preventivo.


Acreditamos que, com a união de toda a juventude valenciana, possamos dar a esta cidade uma nova cara, com respeito à identidade do nosso povo e, ao mesmo tempo, contribua para o seu progresso. Durante anos, nossa voz foi sufocada. É a hora de aquecermos nossas gargantas e libertar nosso grito de indignação e as nossas idéias. Desejamos uma cidade mais justa, igual e fraterna, com o direito de ir e vir plenamente assegurado, permitindo que nós possamos ser REALMENTE o futuro e o presente de nossa nação. Mais do que isso, queremos mostrar que, com uma juventude unida, outra Valença é possível!


sexta-feira, 13 de abril de 2012

COLEGIO HERMINIO MANUEL REALIZA A PRIMEIRA EDICAO DO PROJETO SEXTA NO PALCO


Embora tenha acontecido numa quarta-feira, o projeto “Sexta no Palco” articula
saberes em diversas áreas artísticas com apresentações dos seus alunos.

Na última quarta-feira (04), o Colégio Estadual Hermínio Manuel de Jesus, anexo do Colégio Estadual Gentil Paraíso Martins, localizado na comunidade do Bonfim, realizou a edição de abertura do projeto “Sexta no Palco”. Este projeto tem a finalidade de reunir os alunos para assistirem e realizarem apresentações artísticas no coreto da escola.

Na primeira apresentação, os professores do Colégio Hermínio recitaram poemas, tocaram violão e cantaram, o que estimulou muito os alunos, com suas respectivas habilidades e talentos. Nos turnos vespertino e noturno, a professora Claudiana Pereira, vice-diretora da unidade escolar, fez a abertura do evento desejando boas vindas e os convidando para participar. Fazendo sua entrada jogando capoeira, o professor Ricardo Vidal (Língua Inglesa) declamou um de seus poemas, fazendo uma referência à capoeira e aos ritos indígenas, retomando a origem do povo brasileiro. Em seguida, numa mistura de música e literatura, a professora Taylane Nascimento (Língua Portuguesa) declamou a música “O homem falou” de Gonzaguinha, que, com samba no pé, fez o convite a todos os alunos a participarem das próximas edições do projeto.

Já o professor Eduardo Lopes cantou e encantou com sua voz e violão. Interpretou a música “Wonderwall”, da banda internacional Oasis. O evento foi encerrado pela declamação do poema “Vertigo” (versão em inglês do poema “Vertigem”, do professor Ricardo Vidal), com tradução simultânea do professor Eduardo Lopes. 

Os alunos marcaram presença com belas apresentações. A turma do 1° ano 01 (Vespertino), com a dança da música “Família Feliz”; o aluno Ícaro Carias, do 3° ano (Vespertino), com a voz e violão, e um pot-pourri das músicas “Pais e Filhos” de Renato Russo e “Stand By Me” de John Lennon. No noturno, os alunos Leandro Miranda e Robson Santos deram um verdadeiro “show” de violão, ao interpretarem diversas músicas. Sexta-feira (13/04) tem mais “Sexta no Palco”. Diante de tudo, ficou a sensação de que “Valeu à pena, êh, êh!”
Eu, Prof. Eduardo Lopes e Profa. Claudiana


Declamando meus poemas (além de fazer meu merchandising)

quinta-feira, 12 de abril de 2012

SAIU MINHA NOMEACAO COMO PROFESSOR

Deu no DOE (Diário Oficial do Estado), no dia 11 de abril de 2012:


O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições, e tendo em vista o disposto no art. 12 da Lei nº 6.677, de 26 de setembro de 1994,

R E S O L V E

nomear para o cargo de Professor Padrão P - Grau 1, do Quadro de Pessoal da Secretaria da Educação, os candidatos abaixo nominados, por ordem de classificação, habilitados em concurso público, homologado através da Portaria Conjunta SAEB/SEC nº 08 de 21/06/2011, publicada no D.O.E. de 28/06/2011 e que cumpriram o estabelecido no Edital de Convocação da Secretaria da Administração e Secretaria da Educação, publicado no D.O.E. de 06/12/2011, em conformidade com o disposto no item 5 do Edital de Abertura de Inscrições SAEB/02/2010:


DIREC 05 – VALENÇA

MUNICÍPIOS     DISCIPLINA         CANDIDATO                              CLASSIF.
Cairu                     Língua Portuguesa     Evelyn Dryn Silva da Hora                    4°
Nilo Peçanha                                          Taylane Santos do Nascimento             5°
Valença                Inglês                       José Ricardo da Hora Vidal                 6°
 Varzedo                                                 Alessandra Ribeiro de Jesus                     7°
                                                               Tabatha Yukiko Idogawa Nascimento     10°
                              Espanhol                   Karla Mauricia Cardoso Accioly              1º
                              Geografia                  Loana de Abreu Malta                             2°
                              Biologia                    Dyana Carvalho de Souza Santana           5°


(*) Item 4.1 do Edital SAEB/02/2010, Lei Federal nº 7.853, de 24/10/1989, e no Decreto Federal nº 3.298, de 20/12/1999, e suas alterações.

PALÁCIO DO GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA, em 10 de abril de 2012.

JAQUES WAGNER
Governador

sexta-feira, 6 de abril de 2012

CANCAO VERMELHA PARA VALENCA


Valença, 26 de março de 2012 (04h55)

Valença, meu sonho frustrado e amargo,
Ouça teus filhos gritarem uma nova canção.
Tangem nos corações treze sinos pelas novas
Esperanças que expulsarão a incompetência!

Escarlate é teu futuro, escarlate são as estrelas
Madrugando firme em treze horizontes certeiros!

Minha Valença sonha vermelho, porque
As estrelas que anunciam a paz são vermelhas.
Rubra e Branca é esta aurora do progresso,
Tantas vezes negada, mas ainda desejada,
Inflamando corações e mentes a lutar.
Num sonho vermelho e possível quero
Irrompendo treze estrelas sábias para uma Valença
Alegre e Próspera, com treze motivos para cantar.
Num carrossel de estrelas rubras, minha Valença
Ouvirá sua canção vermelha de Prosperidade…

Biblioteca do Bardo Celta (Leituras recomendadas)

  • Revista Iararana
  • Valenciando (antologia)
  • Valença: dos primódios a contemporaneidade (Edgard Oliveira)
  • A Sombra da Guerra (Augusto César Moutinho)
  • Coração na Boca (Rosângela Góes de Queiroz Figueiredo)
  • Pelo Amor... Pela Vida! (Mustafá Rosemberg de Souza)
  • Veredas do Amor (Ângelo Paraíso Martins)
  • Tinharé (Oscar Pinheiro)
  • Da Natureza e Limites do Poder Moderador (Conselheiro Zacarias de Gois e Vasconcelos)
  • Outras Moradas (Antologia)
  • Lunaris (Carlos Ribeiro)
  • Códigos do Silêncio (José Inácio V. de Melo)
  • Decifração de Abismos (José Inácio V. de Melo)
  • Microafetos (Wladimir Cazé)
  • Textorama (Patrick Brock)
  • Cantar de Mio Cid (Anônimo)
  • Fausto (Goëthe)
  • Sofrimentos do Jovem Werther (Goëthe)
  • Bhagavad Gita (Anônimo)
  • Mensagem (Fernando Pessoa)
  • Noite na Taverna/Macário (Álvares de Azevedo)
  • A Casa do Incesto (Anaïs Nin)
  • Delta de Vênus (Anaïs Nin)
  • Uma Espiã na Casa do Amor (Anaïs Nin)
  • Henry & June (Anaïs Nin)
  • Fire (Anaïs Nin)
  • Rubáiyát (Omar Khayyam)
  • 20.000 Léguas Submarinas (Jules Verne)
  • A Volta ao Mundo em 80 Dias (Jules Verne)
  • Manifesto Comunista (Marx & Engels)
  • Assim Falou Zaratustra (Nietzsche)
  • O Anticristo (Nietzsche)