Sua Majestade, O Bardo

Minha foto
Valença, Bahia, Brazil
Escritor e Professor de Literaturas Anglófonas. Autor do livro "Estrelas no Lago" (Salvador: Cia Valença Editorial, 2004) e coautor de "4 Ases e 1 Coringa" (Valença: Prisma, 2014). Licenciado em Letras/Inglês pela UNEB-Campus Salvador. Falando de mim em outra forma: "Aspetti, signorina, le diro con due parole chi son, Chi son, e che faccio, come vivo, vuole? Chi son? chi son? son un poeta. Che cosa faccio? scrivo. e come vivo? vivo."

quarta-feira, 31 de maio de 2006

Escolhas

Escolhas

Salvador, 12 de abril de 2006 (23h51).

Disseram-me que devo contemplar a vida
Como um verme contempla o infinito à beira do abismo.
Ser tomado pelo espanto, dar às costas e voltar
Pelo mesmo visgo que andaram outros vermes.
Mas se a vida é o infinito na sua beleza,
Por que devo seguir a mesma trilha de vermes?
Por que eu devo ainda ser um verme?
Se estou à beira do abismo,
E a vida é cheia de possibilidades,
Deveria eu saltar e assumir meu posto de falcão
Para conquistar as nuvens e as galáxias
(ou ser um tubarão e dominar os oceanos abissais)
Mesmo que eu não tenha a certeza
Do que esteja no fundo do abismo,
Mesma que a trilha dos vermes seja segura
Por ser previsível,
Nada há de melhor
Que reinar no infinito.
Mesmo que o Sol derreta a cera de minhas asas,
E como Ícaro, eu caia no meio das sombras,
È ainda melhor tentar o salto na direção do abismo.
A visão que os falcões têm do mundo
È superior e mais gratificante:
Nela eu descortino os mistérios e evito as armadilhas,
Vejo o futuro por ver mais amplo a realidade.
E o que vêem os vermes se não o logro?
Prefiro naufragar, tentando ser um falcão
E me perder na amarga existência inútil dos vermes…

segunda-feira, 22 de maio de 2006

Noite de premiação pela Academia de Letras do Recôncavo – ALER

DESTAQUES

NOITE DE PREMIAÇÃO PELA ACADEMIA DE LETRAS DO RECÔNCAVO

Data: 21/05/2006 Hora: 00:25

Fonte: Página Um News

Academia de Letras do Recôncavo – ALER realizou na noite de 20 de maio último, a premiação aos poetas e poetisas vencedores do II concurso de Poesia da ALER, 2005, em que homenageava o poeta taperoense Oscar Pinheiro. A solenidade aconteceu no auditório da Faculdade de Ciências Educacionais - FACE, (completamente lotado), gentilmente cedido pelo Professor, Empresário e Sócio Benemérito da Academia de Letras do Recôncavo, Senhor Dário Loureiro Guimarães.

Ao ser dado início ao trabalho da noite festiva, o Senhor Presidente da Academia de Letras do Recôncavo – ALER, Almir de Oliveira, convidou para ao seu lado compor a mesa diversas personalidades presentes como podemos citar: Dário Loureiro Guimarães, Edmundo Lima, Danilo Evangelista, Bertolino de Jesus (Presidente do Poder Legislativo de Valença), Pedro Ribeiro (Presidente do Poder Legislativo de Saubara).

Concedida a palavra ao Senhor Edmundo Lima, que representava a família Pinheira, por razões de saúde de um dos seus membros. Também o Senhor Manoel Borges dos Santos, usou do momento e declamou a poesia Gabriela, que entre risos e aplausos agradou aos presentes.

O Presidente da Academia de Letras do Recôncavo – ALER, falou aos presentes dizendo da importância do concurso de poesia e anunciou os membros da comissão julgadora: Danilo Evangelista dos Santos de Santo Amaro, sendo este o presidente da comissão, Hélio Valadão Júnior, de Santo Antonio de Jesus, Judite Santana Barros, de Saubara, Manoel Borges dos Santos, de Muritiba e Onésimo Gomes, de Cruz das Almas.

Em seguida o Senhor Almir de Oliveira, Presidente da ALER, iniciou a premiação e fez questão de deixar bem claro que os sete distinguidos com a Menções Honrosas, seriam convidados para receber as suas respectivas menções por ordem alfabética do autor. Ecos – Autora Aline Oliveira da Silva – Salvador, Balança Patrimonial da Juventude – Autor José Moreira de Freitas – Salinas da Margarida, Soneto da solidão – autor José Ricardo da Hora Vidal – Filho de Valença, residente em Salvador – Chuva – Autor Luciano Diniz – Salvador, Sereia – Autor Ricardo de Oliveira – Ibitiara, Renascer – Autora Silbene de Jesus Ferreira – Saubara, A Vida – Autora Terezinha Teixeira Santos – Guananbí.

Continuando foi dada a premiação aos vencedores, por classificação. A terceira colocação geral coube a autora do poema Luz da Vida, da Cidade de Valença, residente no Bairro da Baixa Alegre – Luíza Alves do Nascimento, também o segundo lugar ficou para outra poetisa de Valença, residente no Bairro da Urbis, caminho 23, Edilena Lima dos Santos, já o primeiríssimo colocado, vencedor do II concurso de Poesia organizado pela Academia de Letras do Recôncavo – ALER, foi o poema O Poeta e a Roça, autor Renato Rocha, de Saubara, centro.

Almir de Oliveira, Presidente da ALER, convidou o Senhor Onésimo Gomes, para fazer os agradecimentos ao Mestre Dário Loureiro Guimarães. O agradecimento foi realizado, e ao mesmo tempo o orador prestou uma homenagem ilustrada num telão, com auxilio do data-show desde o nascimento, passando pelas escolas, mencionando nomes de alguns professores, na vida profissional fez referência que Dário trabalhando numa multinacional, guindou uma função após outra, chegando a diretoria. Onésimo Gomes, concluindo disse: “Bendito sejam Artur e Noemi, Bendito seja Valença que lhe serviu de berço. Naquele instante passou as mãos do Benemérito da Academia de Letras do Recôncavo, Professor Dário Loureiro Guimarães, uma placa pelos bons serviços prestados a ALER” onde todos de pé aplaudiram demoradamente.

O homenageado que é o pioneiro do ensino superior em Valença, visivelmente emocionado agradeceu, fazendo uma citação bíblica, que sua genitora sempre pedia para que fosse lida, desde a sua infância.Logo em seguida foram sorteados alguns exemplares do livro “Revista da Academia de Letras do Recôncavo – ALER, o qual foi custeado pelo Benemérito Professor Dário Loureiro Guimarães. O Presidente da Instituição, teceu algumas considerações e deu por encerrada a noite festiva”.

A imprensa falada esteve representada pelos radialistas Dorgival Lemos, pela Rádio Clube de Valença e Carlos Alberto, pela Valença FM, já a escrita só estava presente Gedel Lobão, pelo Jornal Página Um News.

Parabéns Empresários e Professor Dário Loureiro Guimarães, não só pela memorável noite de 20 de maio, mais também pela Faculdade de Ciências Educacionais – FACE, ter sido aprovada pelo MEC, sem restrições e com louvor. Ontem menino da Vila Operária, hoje empresário. “Bendito seja Dário Loureiro Guimarães”.

Gedel Lobão Página Um News.

*******************************************************************

Fonte: http://www.paginaumnews.com.br/aler_premio.php

quinta-feira, 4 de maio de 2006

Entrega de Prêmios - II Concurso de Poesia da ALER

Entrega de Prêmios - II Concurso de Poesia da ALER
Ocorrerá no próximo dia 20 de maio, às 20 horas, no auditório da Faculdade de Ciências Educacionais (rua Maria Consuelo 123, Graça), a solenidade de entrega de prêmios do II Concurso de Poesias “Oscar Pinheiro”, promovido pela Academia de Letras do Recôncavo (ALER). Dentro os agraciados, está o jovem escritor baiano Ricardo Vidal, cujo “Soneto da Solidão” ganhou uma menção especial e fará parte da antologia composta com os poemas vencedores.

Local: Auditório da FACE (Rua Maria Consuelo 123, bairro da Graça, Valença, Bahia)
Data: 20 de maio de 2006
Horário: 20 horas.

Ode Improvisada pra minh'amada

Ode Improvisada pra Minh'amada

Salvador, 03 de maio de 2006

Minha Fabíola é linda,
Como noite de luar
Que surge atrás da serra
Num carrossel de estrelas
Belas para nos encantar.
Tua boca fulgura sonhos
De valsa num sorriso prateado,
Que fazem o poeta delirar
Ao sonhar com teus beijos
Doces como a flor do maracujá.
Teus olhos ternos de esmeralda
São como a ressaca do mar:
Envolve-nos com tua beleza
E malícia para dentro dele
Queremos nos afogar
Dentre tuas carícias e encantos.
Por isso que tu és a minha rainha,
Por quem morro e vivo por ti.
És a fada da lua, a sereia verde
Que me inspira todos os poemas,
E cujo sorriso avassalador
Eleva-me para além das tristezas.
Amo-te, sereia linda, sereia bela,
Sereia vinda das estrelas cadentes
E que ilumina o Brasil
Com teus encantos.
Vem, minha fada e sereia,
Vem pra Bahia de todos os sonhos,
Para que o poeta possa te encher
De beijos e carícias e amor!
Para juntos, cruzarmos o horizonte
E sermos felizes na eternidade dos sonhos...

Biblioteca do Bardo Celta (Leituras recomendadas)

  • Revista Iararana
  • Valenciando (antologia)
  • Valença: dos primódios a contemporaneidade (Edgard Oliveira)
  • A Sombra da Guerra (Augusto César Moutinho)
  • Coração na Boca (Rosângela Góes de Queiroz Figueiredo)
  • Pelo Amor... Pela Vida! (Mustafá Rosemberg de Souza)
  • Veredas do Amor (Ângelo Paraíso Martins)
  • Tinharé (Oscar Pinheiro)
  • Da Natureza e Limites do Poder Moderador (Conselheiro Zacarias de Gois e Vasconcelos)
  • Outras Moradas (Antologia)
  • Lunaris (Carlos Ribeiro)
  • Códigos do Silêncio (José Inácio V. de Melo)
  • Decifração de Abismos (José Inácio V. de Melo)
  • Microafetos (Wladimir Cazé)
  • Textorama (Patrick Brock)
  • Cantar de Mio Cid (Anônimo)
  • Fausto (Goëthe)
  • Sofrimentos do Jovem Werther (Goëthe)
  • Bhagavad Gita (Anônimo)
  • Mensagem (Fernando Pessoa)
  • Noite na Taverna/Macário (Álvares de Azevedo)
  • A Casa do Incesto (Anaïs Nin)
  • Delta de Vênus (Anaïs Nin)
  • Uma Espiã na Casa do Amor (Anaïs Nin)
  • Henry & June (Anaïs Nin)
  • Fire (Anaïs Nin)
  • Rubáiyát (Omar Khayyam)
  • 20.000 Léguas Submarinas (Jules Verne)
  • A Volta ao Mundo em 80 Dias (Jules Verne)
  • Manifesto Comunista (Marx & Engels)
  • Assim Falou Zaratustra (Nietzsche)
  • O Anticristo (Nietzsche)