Sua Majestade, O Bardo

Minha foto
Valença, Bahia, Brazil
Escritor e Professor de Literaturas Anglófonas. Autor do livro "Estrelas no Lago" (Salvador: Cia Valença Editorial, 2004) e coautor de "4 Ases e 1 Coringa" (Valença: Prisma, 2014). Licenciado em Letras/Inglês pela UNEB-Campus Salvador. Falando de mim em outra forma: "Aspetti, signorina, le diro con due parole chi son, Chi son, e che faccio, come vivo, vuole? Chi son? chi son? son un poeta. Che cosa faccio? scrivo. e come vivo? vivo."

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Blog "Cultura do Baixo Sul"

Caros Leitores e Leitoras deste blog:

Para quem é da região de Valença e Baixo Sul (Ou Costa do Dendê ou Segundo Recôncavo), a sugestão é a leitura do Blog de Plutarco Drummond, Cultura no Baixo Sul

http://culturabaixosul.blogspot.com/

É um bom local para se informar sobre as política culturais do governo estadual para nossa região.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Último Suspiro

Último Suspiro

Salvador, 04 de setembro de 2000

Deitada na laje fria de mármore,
Teus seios brilhavam a luz do luar.
E tuas formas seminuas, lânguidas,
Resvalam pelos mantos de cetim.

De teu torso níveo, tua tez macia,
Entrevia uma seara fremente
No qual a Vida ainda vegetava
Em luxuriosos desejos e amores.

Teu hálito de canela rescindia
Enquanto meus lábios juntavam-se
Aos teus em um beijo funéreo.

Pouco depois, o teu corpo arfava
Em pecaminosos espasmos e gozos
Que lhe sugavam u’a última gota vital.

Poema em Bossa Nova

Poema em Bossa Nova
(após ouvir Vinícius de Moraes)

Salvador, 03 de janeiro de 2003

A lua nasce em Ipanema
Com as ondas embalando a praia.
O Sol se despede do mar
E o violão, por enquanto, ensaia
Na sala um lamento novo,
Tranqüilo, aguardando o olhar
Que queria ser um beijo.

O ar se enche de ternura
E um velho amigo
Conta suas amarguras
Na mesa boêmia do bar.
A vida tem destas coisas:
Na falta da voz divina de Edith Piaf,
Ainda temos um verso de Vinícius
para consolar.

A lua continua lá fora, companheira,
E um violão se une ao piano.
E quando um samba carioca,
Pela noite, distante no morro, toca;
É porque existe um coração apaixonado
Que sofre por seu amor.
E onde tem um coração solitário,
Existe um copo de cachaça e uma trova,
Existem litros de poesia e melancolia,
Existe um pouco de Bossa Nova.

Bossa boa, canção nova pelo ar
Que caminha solitária em Ipanema,
Que faz do sofrimento uma paisagem,
Do amor e da boemia uma viagem
E da Vida, um brejeiro poema.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Soneto Surreal

Soneto Surreal
(Para Lina Meira)


Salvador; 16 de janeiro de 2009.

Em um soneto quero guardar as loucuras de Miró,
Para que nele minh’amiga beije nuvens de girassol.
Em um soneto quero guardar os sorrisos do Tempo,
Para que nele minh’amiga contemple as idéias de Dalí.

Em um soneto quero que minh’amiga dance
Em meio a um carrossel de relógios derretidos.
Em um soneto quero que minh’amiga descanse
A sombra das Senhoritas cubistas de Avignon.

Quero um soneto surrealista, de formas retorcidas,
Como que forjado em bronze, de onde estas visões
Encontrariam sua morada dentre Quasares verdes.

E nesse soneto que eu escrevesse como suspiros,
Minh’amiga Lina leria seu nome com uma pintura
Multifacetada e bela, que se redescobre a cada olhar…

Biblioteca do Bardo Celta (Leituras recomendadas)

  • Revista Iararana
  • Valenciando (antologia)
  • Valença: dos primódios a contemporaneidade (Edgard Oliveira)
  • A Sombra da Guerra (Augusto César Moutinho)
  • Coração na Boca (Rosângela Góes de Queiroz Figueiredo)
  • Pelo Amor... Pela Vida! (Mustafá Rosemberg de Souza)
  • Veredas do Amor (Ângelo Paraíso Martins)
  • Tinharé (Oscar Pinheiro)
  • Da Natureza e Limites do Poder Moderador (Conselheiro Zacarias de Gois e Vasconcelos)
  • Outras Moradas (Antologia)
  • Lunaris (Carlos Ribeiro)
  • Códigos do Silêncio (José Inácio V. de Melo)
  • Decifração de Abismos (José Inácio V. de Melo)
  • Microafetos (Wladimir Cazé)
  • Textorama (Patrick Brock)
  • Cantar de Mio Cid (Anônimo)
  • Fausto (Goëthe)
  • Sofrimentos do Jovem Werther (Goëthe)
  • Bhagavad Gita (Anônimo)
  • Mensagem (Fernando Pessoa)
  • Noite na Taverna/Macário (Álvares de Azevedo)
  • A Casa do Incesto (Anaïs Nin)
  • Delta de Vênus (Anaïs Nin)
  • Uma Espiã na Casa do Amor (Anaïs Nin)
  • Henry & June (Anaïs Nin)
  • Fire (Anaïs Nin)
  • Rubáiyát (Omar Khayyam)
  • 20.000 Léguas Submarinas (Jules Verne)
  • A Volta ao Mundo em 80 Dias (Jules Verne)
  • Manifesto Comunista (Marx & Engels)
  • Assim Falou Zaratustra (Nietzsche)
  • O Anticristo (Nietzsche)