Sua Majestade, O Bardo

Minha foto
Valença, Bahia, Brazil
Escritor e Professor de Literaturas Anglófonas. Autor do livro "Estrelas no Lago" (Salvador: Cia Valença Editorial, 2004) e coautor de "4 Ases e 1 Coringa" (Valença: Prisma, 2014). Licenciado em Letras/Inglês pela UNEB-Campus Salvador. Falando de mim em outra forma: "Aspetti, signorina, le diro con due parole chi son, Chi son, e che faccio, come vivo, vuole? Chi son? chi son? son un poeta. Che cosa faccio? scrivo. e come vivo? vivo."

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Requiem Anos 80

Dois amigos se encontram numa mesa de bar. naturalmente, de gerações diferentes. Um está com I-pod repleto de músicas de A-ha e The B-52s e cujo deenho lembra um walkman antigo. O ouro está normal, apresentando a idade que ele realmente tem.

- Olá! como vai, OutraGeração?
- Eu vou bem, 80X. Soube da novidade? Michael Jackson acabou de falecer...
- Mentira! Isso não pode acontecer...
-Pois é... Ele morrreu!!!
Não.. Isso só pode ser brincadeira... Eu posso acreditar que o sonho acabou, que Margaret Thatcher estava certa, que John Lennon morreu ou o fim das utopias esquerdistas com a queda do Muro de Berlim... Mas a morte de Michael Jackson eu ainda não tenho cabeça para assimilar...
- Como não, 80.X? Até parece que você que não tem 40 anos completos... Olha, não sei se você... mas pessoas morrem. Todas, sem excessão, um dia morrem...
- É que com Michael Jackson é diferente... Ele, assim como Madonna, Prince, Indiana Jones, os Goonies... eles todos eram meus ídolos de juventude. Tudo bem... Deu para agüentar a morte de Frank Sinatra e de Paulo Autram, por exemplo. Afinal, eles já estavam velhos. Agora, Michael... Sinceramente, eu ainda não acredito que Renato Russo morreu... juro que eu já me esbarrei com ele diversasvezes depois daquela notícia de 1996 (ou 1997). E ainda espero que a Legião Urbana volte e grave um LP novo...
- ??????
- É mesmo. Olha, a questão é a seguinte: Quando certos ídolos morrem, eles mostram que já envelhecemos, que também teremos fim. Talvez, para quem viveu a euforia revolucinária dos anos 60 ou foi veterano daSegunda Guerra Mundial, a morte não pese muito. Ela estava perto. Mas para minha geração, a geração X... Quem viveu os anos 80, esta geração que não sabia dizer para que veio e que ainda parece meio infantil, bebês cangurus que moram com os pais ainda que tenham 30 anos, que aos 40 anos de idade fica neste saudosimo eletrônico "Você se lembra do Conga ou das músicas da Blitz?" ou "Se lembra de seriados como Esquadrão Classe A, Spectreman e Manimal", uma geração cuja utopia social era ser yuppie e ouvir The B-52s...Talvez a geração que mais radicalizou a eterniação da juventude exatamente por não saber aonde ir quando estivessem maduros; ouvir a morte de grande ídolo é ser obrigado que já somos mais jovens e que ocupamos o lugar de nossos pais. Já não podemos jogar mais pedras porque somos vidraças que nosos filhos e filhas querem quebrar. Sempre fosse assim...
- Também não precisa ser dramático, 80.X...
- Não é drama não, Outrageração... Apenas um pouco de filosofia barata. Acho que cheguei na idade em que eu posso me dar a esse direito. Vocês também não dizem que a sua geração foi melhor? Quem vocês viveram a história? Que suas bandas são as melhores e que eu estou sendo saoudosista? É o peso da idade que eu sentimos...
- Acho que você bebeu Grapete demais e misturou isso com muito bala Dulcora e Diplink. Bem, vejo que está quando seu notebook corporativo. O que está vendo.
- Nada de mais: baixando série completa do desenho do He-man. Lá em casa já tenho a série completa dos Thundercats e de She-Ra. Espero ainda baixar os Mp3 do disco Thriller. Deste modo euresguardo meu Long Play original.
- Legal! Garçom, traga outro Grapette sabor uva para mim e algumas balas Dulcora. E aumente o som do DVD com os melhores momentos do Xou da Xuxa...

Nenhum comentário:

Biblioteca do Bardo Celta (Leituras recomendadas)

  • Revista Iararana
  • Valenciando (antologia)
  • Valença: dos primódios a contemporaneidade (Edgard Oliveira)
  • A Sombra da Guerra (Augusto César Moutinho)
  • Coração na Boca (Rosângela Góes de Queiroz Figueiredo)
  • Pelo Amor... Pela Vida! (Mustafá Rosemberg de Souza)
  • Veredas do Amor (Ângelo Paraíso Martins)
  • Tinharé (Oscar Pinheiro)
  • Da Natureza e Limites do Poder Moderador (Conselheiro Zacarias de Gois e Vasconcelos)
  • Outras Moradas (Antologia)
  • Lunaris (Carlos Ribeiro)
  • Códigos do Silêncio (José Inácio V. de Melo)
  • Decifração de Abismos (José Inácio V. de Melo)
  • Microafetos (Wladimir Cazé)
  • Textorama (Patrick Brock)
  • Cantar de Mio Cid (Anônimo)
  • Fausto (Goëthe)
  • Sofrimentos do Jovem Werther (Goëthe)
  • Bhagavad Gita (Anônimo)
  • Mensagem (Fernando Pessoa)
  • Noite na Taverna/Macário (Álvares de Azevedo)
  • A Casa do Incesto (Anaïs Nin)
  • Delta de Vênus (Anaïs Nin)
  • Uma Espiã na Casa do Amor (Anaïs Nin)
  • Henry & June (Anaïs Nin)
  • Fire (Anaïs Nin)
  • Rubáiyát (Omar Khayyam)
  • 20.000 Léguas Submarinas (Jules Verne)
  • A Volta ao Mundo em 80 Dias (Jules Verne)
  • Manifesto Comunista (Marx & Engels)
  • Assim Falou Zaratustra (Nietzsche)
  • O Anticristo (Nietzsche)