Sua Majestade, O Bardo

Minha foto
Valença, Bahia, Brazil
Escritor e Professor de Literaturas Anglófonas. Autor do livro "Estrelas no Lago" (Salvador: Cia Valença Editorial, 2004) e coautor de "4 Ases e 1 Coringa" (Valença: Prisma, 2014). Licenciado em Letras/Inglês pela UNEB-Campus Salvador. Falando de mim em outra forma: "Aspetti, signorina, le diro con due parole chi son, Chi son, e che faccio, come vivo, vuole? Chi son? chi son? son un poeta. Che cosa faccio? scrivo. e come vivo? vivo."

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Polaroid Barroca 2015

 Polaroid Barroca 2015
(para Luana Figueiredo)

Salvador; 24 de abril de 2015 (03h38)

Que falta nesta cidade?................Verdade
Que mais por sua desonra?...........Honra
Falta mais que se lhe ponha..........Vergonha.


O demo a viver se exponha,
Por mais que a fama a exalta,
numa cidade, onde falta
Verdade, Honra, Vergonha.
Gregório de Matos

Anda mole ou dura?……………… Prefeitura!
É Federal ou Estadual?…………… Municipal!
Mais dorme do que pensa?……… Valença!

Vergonhosa reticência,
O Demo diz sem alarde,
Quando se fala a verdade
Da Prefeitura Municipal de Valença

Quando falta a razão?…………… Educação!
E o que foge do ataúde?………… Saúde!
Falta-lhe a sorte?………………… Transporte

Acenda meu velho archote,
Cansado estou a procurar,
E aqui vejo sempre faltar
Educação, Saúde e Transporte!

O que manda no coração?……… Retidão!
E deseja a nossa cidade?………… Vontade!
E não perca na lavagem?………… Coragem!

Só pode ser sacanagem
O que anda aqui muito a faltar
Dentre aquele que quer governar:
Retidão, Vontade e Coragem!

Quem são os devedores?………… Vereadores!
E se mostra imperfeita?………… Prefeita!
E bagunçam os armários?……… Secretários!

Tremam os rosários,
Não se mostraram a altura
Quem comanda a loucura:
Vereadores, Prefeita e Secretários!

Quem está numa boa?…………… A coroa!
E Quem fica a gritar?…………… O altar!
Andam juntos e amigados?……… Separados!

Triste é o nosso fado
Pois quem manda, não se mostra!
E o que não se ver nessa palhoça
É a coroa e o altar separados!

Fica parado ou corre? Não morre
Onde se tenha fiança? A Esperança!
Anda inerte e calado? Ver tudo mudado!

Otimismo marrento e desabusado
Eu tenho na minha pobre e querida cidade
Pois a diante dos desmando e calamidades
Não morre a esperança de ver tudo mudado.
-->
-->

Nenhum comentário:

Biblioteca do Bardo Celta (Leituras recomendadas)

  • Revista Iararana
  • Valenciando (antologia)
  • Valença: dos primódios a contemporaneidade (Edgard Oliveira)
  • A Sombra da Guerra (Augusto César Moutinho)
  • Coração na Boca (Rosângela Góes de Queiroz Figueiredo)
  • Pelo Amor... Pela Vida! (Mustafá Rosemberg de Souza)
  • Veredas do Amor (Ângelo Paraíso Martins)
  • Tinharé (Oscar Pinheiro)
  • Da Natureza e Limites do Poder Moderador (Conselheiro Zacarias de Gois e Vasconcelos)
  • Outras Moradas (Antologia)
  • Lunaris (Carlos Ribeiro)
  • Códigos do Silêncio (José Inácio V. de Melo)
  • Decifração de Abismos (José Inácio V. de Melo)
  • Microafetos (Wladimir Cazé)
  • Textorama (Patrick Brock)
  • Cantar de Mio Cid (Anônimo)
  • Fausto (Goëthe)
  • Sofrimentos do Jovem Werther (Goëthe)
  • Bhagavad Gita (Anônimo)
  • Mensagem (Fernando Pessoa)
  • Noite na Taverna/Macário (Álvares de Azevedo)
  • A Casa do Incesto (Anaïs Nin)
  • Delta de Vênus (Anaïs Nin)
  • Uma Espiã na Casa do Amor (Anaïs Nin)
  • Henry & June (Anaïs Nin)
  • Fire (Anaïs Nin)
  • Rubáiyát (Omar Khayyam)
  • 20.000 Léguas Submarinas (Jules Verne)
  • A Volta ao Mundo em 80 Dias (Jules Verne)
  • Manifesto Comunista (Marx & Engels)
  • Assim Falou Zaratustra (Nietzsche)
  • O Anticristo (Nietzsche)