Sua Majestade, O Bardo

Minha foto
Valença, Bahia, Brazil
Escritor e Professor de Literaturas Anglófonas. Autor do livro "Estrelas no Lago" (Salvador: Cia Valença Editorial, 2004) e coautor de "4 Ases e 1 Coringa" (Valença: Prisma, 2014). Licenciado em Letras/Inglês pela UNEB-Campus Salvador. Falando de mim em outra forma: "Aspetti, signorina, le diro con due parole chi son, Chi son, e che faccio, come vivo, vuole? Chi son? chi son? son un poeta. Che cosa faccio? scrivo. e come vivo? vivo."

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

In Taberna


In Taberna


29 de julho de 1996


A dream that was not at all a dream
Darkness - Lord Byron.


— Passava lá fora, a chuva caía a cântaros, a tempestade era medonha, entrei. Boa noite, senhores! Se houver mais uma taça na vossa mesa, enchei-a até às bordas e beberei convosco
Bertram - Álvares de Azevedo.


O vinho faz do poeta um príncipe e do príncipe um poeta
Verso árabe citado em Macário - Álvares de Azevedo.


(Prólogo - Fala do Autor)
(Estava chovendo cântaros rubros,
Parecia que Deus abrira sua vinha.
Vários jovens vejo à sono solto
Cantando os sonhos que me convinha
)
………………………………………………………………


(Idealista Rico)
Dizem ser o dinheiro
Um mal necessário ...
Oras bolas - carambolas!!!!!
Por que não o fazem um bem fútil?
………………………………………………………………


(Esteta Helênico)
Pega-te furtivamente este verso
Escreva-te uma galante pena,
Dei-lhe um belo título:
- Eis um grande poema
………………………………………………………………


(Médico de Coimbra)
Zombaste Bocage, meu caro Bocage
De toda a medicina.
Mas do que valeria sua vida
Se o esculápio não cumprisse sua sina??
………………………………………………………………


(Realista mas Honrado)
Ventos, Chuvas e Trovões
Terremotos, Incêndios e Tufões;
Mas quem agüentaria, Caro barão,
Ter em chamas o próprio coração????
………………………………………………………………


(Apaixonado Incorrigível)
Quem é a sombra
Que mo aparece a noite?
É um anjo do amor?
Ou o demônio de mia desgraça?
A virgem de meus sonhos?
Ou a música perdida da infância?
É só uma barata .......... POOF!!!!!!!!!
………………………………………………………………


(Um Poeta Medievalista)
Traga-me papel e tinta; caneta e café,
Um grande poema estar surgindo...
Um soneto sobre algum copo de vinho,
Uma epigrama sobre a noite com u’a mulher!
………………………………………………………………


(Um Francês da Quartier Latin)
Je suis fleur du amour,
Coeur orange du Vie, Soleil.
Poetè, Je mangè emocion,
Glorie, tout le musique macabre,
Je — feèrique passion
Pour une femme.

Je suis flame du monde:
Je suis…

Je suis le Noir,
Je suis le Rein.
………………………………………………………………


(Velho Libertino)
Beije todas as fadas
Enquanto fores jovem e vigoroso
Beba toda a juventude
Para não reclamares quando estiveres idoso.
………………………………………………………………


(Nosso Padre, Bêbedo)
Khayyam, Epicuro, Bocage, Anacreonte:
Em quer ares estiveram antes
Para nos darem lições tão brilhantes?
………………………………………………………………


(Sincero, com um guarda)
Não entendo o porquê das mulheres dizerem hoje
Não existir, dentre os homens um só cavalheiro?
Quando fazemos uso da boa etiqueta
Somos acusados de atacar co’o falo guerreiro
………………………………………………………………


(Inglês, dentre amigos)
Three things I need:
A full bottle of wine;
A good book of poems
And a hot kiss of virgin.
………………………………………………………………


(Espanhol, nascido nas Américas)
Besame ahora, angelito negro;
El tiempo vuela como un caballo.
Después, yo estuviere viejo en mío aposento...
Y tu, veleidosa, amases otro señorito.
………………………………………………………………


(Outro Francês, este contemporâneo do 9Termidor)
Lumière du ma vie, soleil noir.
Tu es la fleur du un coeur poètique,
Tu es la fèe du une poèse romantique
- Musique divine in blanc soir.
………………………………………………………………


(O Bruxo Solitário)
Bruxas e fadas, Elfos e duendes;
Tenhas Robim Goodfellow por companheiro
Quando a floresta estiver em festa,

Tenhas Mefistófeles por conselheiro
Quando o coração estiver em chamas,

Tenhas Vênus por amante
Quando tua alcova arder em desejo;

Mas não tenhas a cabeça nos pés,
Não tenhas pedras no coração
Quando estiveres amando em teu leito.
………………………………………………………………


(Rapaz Italiano)
Buona sera, casta signorina.
Come stai, bella madona?
Come stai, fiore della vita mia.


Bongiorno, calda nostagia.
Dove stai, il mio dolce amore?
Dove stai, sogno del gioventù?


Gellida mattina, dove stai mia fiore?
………………………………………………………………


(Espírito Latino)
Copulo ergo sum.
In seacula seaculorum,
Carpe diem. Carpe diem.
Post Nubila, Phoebus.
………………………………………………………………


(Arauto do Mago)
Cante o vento a boa-nova,
Espalhe a brisa pelos prados
A notícia que agora brado:
Estão Oberon e Titânia em amor profundo.
(Sei agora que perto estamos do fim do mundo).
………………………………………………………………


(Outro Inglês)
Go away, go away mad
Horse in sea’s wind ...
Go after, go after sad
Darkness - go and leave-me!
Go and leave-me!
………………………………………………………………


(Estudante da Sorbone)
Seios duros e glúteos arrebitados
Beijos lascivos e corpos mulatos
Nada como gozares a juventude fresca
Antes que esta profana fonte esteja seca.
………………………………………………………………


(Revolucionário, dentre outros conspiradores)
Liberdade - Voe alto, Revolução,
Detenham as lavas do vulcão!
Liberdade - Lema da Juventude;
Abra tuas asas na mais alta amplitude.
………………………………………………………………


(Nobre de antiga estirpe)
Sua Majestade el-rei mandou avisar:
Precisa-se de domador de fera
Corajoso, louco e bonito para casar
Com a princesa - graciosíssima megera.
………………………………………………………………


(A Romantic Poet)
I sleep in river of my heart.
The moonlight kiss me, love me.
The butterfly drink my dreams.
I die! I lie! I am the black spleen.
………………………………………………………………


(Cantor de Ópera, cínico)
Baixe seus olhos, Orgulho!
O mundo não passa de uma canção:
Coros de catástrofes, Allegro de saparias
E quartetos solitários em teu leviano coração.
………………………………………………………………


(Filosofo Sóbrio)
Taberneira! Traga-me mais vinho!
Não se afoga coração sem a loucura,
Não se fica bêbedo sem o espírito
E a morte não tem meio melhor
De levar alguém à sepultura.
………………………………………………………………


(O Autor, já com sono)
Morto de sono, durmo com Morfeu.
O vapor do narguilé chama-me à cama.
Sonhos de volúpia e paixão
Dilui-se todos, findou-se a trama;
Era tudo uma triste ilusão.

Nenhum comentário:

Biblioteca do Bardo Celta (Leituras recomendadas)

  • Revista Iararana
  • Valenciando (antologia)
  • Valença: dos primódios a contemporaneidade (Edgard Oliveira)
  • A Sombra da Guerra (Augusto César Moutinho)
  • Coração na Boca (Rosângela Góes de Queiroz Figueiredo)
  • Pelo Amor... Pela Vida! (Mustafá Rosemberg de Souza)
  • Veredas do Amor (Ângelo Paraíso Martins)
  • Tinharé (Oscar Pinheiro)
  • Da Natureza e Limites do Poder Moderador (Conselheiro Zacarias de Gois e Vasconcelos)
  • Outras Moradas (Antologia)
  • Lunaris (Carlos Ribeiro)
  • Códigos do Silêncio (José Inácio V. de Melo)
  • Decifração de Abismos (José Inácio V. de Melo)
  • Microafetos (Wladimir Cazé)
  • Textorama (Patrick Brock)
  • Cantar de Mio Cid (Anônimo)
  • Fausto (Goëthe)
  • Sofrimentos do Jovem Werther (Goëthe)
  • Bhagavad Gita (Anônimo)
  • Mensagem (Fernando Pessoa)
  • Noite na Taverna/Macário (Álvares de Azevedo)
  • A Casa do Incesto (Anaïs Nin)
  • Delta de Vênus (Anaïs Nin)
  • Uma Espiã na Casa do Amor (Anaïs Nin)
  • Henry & June (Anaïs Nin)
  • Fire (Anaïs Nin)
  • Rubáiyát (Omar Khayyam)
  • 20.000 Léguas Submarinas (Jules Verne)
  • A Volta ao Mundo em 80 Dias (Jules Verne)
  • Manifesto Comunista (Marx & Engels)
  • Assim Falou Zaratustra (Nietzsche)
  • O Anticristo (Nietzsche)