Sua Majestade, O Bardo

Minha foto
Valença, Bahia, Brazil
Escritor e Professor de Literaturas Anglófonas. Autor do livro "Estrelas no Lago" (Salvador: Cia Valença Editorial, 2004) e coautor de "4 Ases e 1 Coringa" (Valença: Prisma, 2014). Licenciado em Letras/Inglês pela UNEB-Campus Salvador. Falando de mim em outra forma: "Aspetti, signorina, le diro con due parole chi son, Chi son, e che faccio, come vivo, vuole? Chi son? chi son? son un poeta. Che cosa faccio? scrivo. e come vivo? vivo."

sábado, 8 de novembro de 2008

Dublê de Heraldista



Bem, a idéia central é que este blog seja de literatura. Primordial e principalmente, um blog de literatura, onde eu pudesse meus textos. Todavia, como todo bom blog, de vez em quando há as derrapadas, escorregadas e desvios de rotas.

Digo isso por conta dos meus últimos dias... Final de faculdade, tempo de monografia, cabeça a mil pensando no próximo livro... e o que estou fazendo??? brincando de heraldista. Os motivos são simples: 01º) Gosto desta coisa de brasões, em parte pelo meu gosto por história, em parte por causa da minha quase formação em Comunicação. 02º) Elaborar brasões é uma forma de passar o tempo e exercitar outros campos da mente que nãos ejam apenas escrita, reflexão e leitura. 03º) Quando se estar apaixonado, se faz qualquer loucura. E é por conta deste último motivo a origem do meu post.

Minha amiga Elisabete P. Barbosa está organizando uma ONG de direitos humanos. Como sempre tive uam queda por ela, eis que resolvi ajudá-la. Nesta brincandeira, entre se oferecer e o pedido de ajuda, resolvi montar o brasão d'armas da entidade. Quase duas semanas, entre fazer o brasão, o selo e a bandeira da entidade. Felizmente meu trabalho ficou no agrado dela. Agora, para finalizar, tenho que escrever a justifica heráldica do símbolos...

Nada complicado, exceto que eu preciso escrever ainda minha monografia e meus dedos já conçam em publicar um outro livro. Afinal, meu "Estrelas no Lago" foi publicado em 2004...Também há meus textos literários, meus poemas, que eu gostaria de retornar a escrever.

Pelo o que vejo, enquanto não regularizar minha vida civil, vivo esta dicotomia entre escrever auilo que eu gosto e fazer aquilo que sociedade quer que eu faça. Assim que tomar vergonha na cara, escrevo uma crônica comentando o significado da vitória de Barack Obama ou um ensaio informal sobre o saudosismo da dos anos 80. Em tempo: o brasão que ilustra este post não é a do ONG. É o meu brasão pessoal, reformulado...

Nenhum comentário:

Biblioteca do Bardo Celta (Leituras recomendadas)

  • Revista Iararana
  • Valenciando (antologia)
  • Valença: dos primódios a contemporaneidade (Edgard Oliveira)
  • A Sombra da Guerra (Augusto César Moutinho)
  • Coração na Boca (Rosângela Góes de Queiroz Figueiredo)
  • Pelo Amor... Pela Vida! (Mustafá Rosemberg de Souza)
  • Veredas do Amor (Ângelo Paraíso Martins)
  • Tinharé (Oscar Pinheiro)
  • Da Natureza e Limites do Poder Moderador (Conselheiro Zacarias de Gois e Vasconcelos)
  • Outras Moradas (Antologia)
  • Lunaris (Carlos Ribeiro)
  • Códigos do Silêncio (José Inácio V. de Melo)
  • Decifração de Abismos (José Inácio V. de Melo)
  • Microafetos (Wladimir Cazé)
  • Textorama (Patrick Brock)
  • Cantar de Mio Cid (Anônimo)
  • Fausto (Goëthe)
  • Sofrimentos do Jovem Werther (Goëthe)
  • Bhagavad Gita (Anônimo)
  • Mensagem (Fernando Pessoa)
  • Noite na Taverna/Macário (Álvares de Azevedo)
  • A Casa do Incesto (Anaïs Nin)
  • Delta de Vênus (Anaïs Nin)
  • Uma Espiã na Casa do Amor (Anaïs Nin)
  • Henry & June (Anaïs Nin)
  • Fire (Anaïs Nin)
  • Rubáiyát (Omar Khayyam)
  • 20.000 Léguas Submarinas (Jules Verne)
  • A Volta ao Mundo em 80 Dias (Jules Verne)
  • Manifesto Comunista (Marx & Engels)
  • Assim Falou Zaratustra (Nietzsche)
  • O Anticristo (Nietzsche)