Sua Majestade, O Bardo

Minha foto
Valença, Bahia, Brazil
Escritor e Professor de Literaturas Anglófonas. Autor do livro "Estrelas no Lago" (Salvador: Cia Valença Editorial, 2004) e coautor de "4 Ases e 1 Coringa" (Valença: Prisma, 2014). Licenciado em Letras/Inglês pela UNEB-Campus Salvador. Falando de mim em outra forma: "Aspetti, signorina, le diro con due parole chi son, Chi son, e che faccio, come vivo, vuole? Chi son? chi son? son un poeta. Che cosa faccio? scrivo. e come vivo? vivo."

quarta-feira, 19 de abril de 2006

Lamentos do Velho Druida

Lamentos do Velho Druida

Salvador, 30 de janeiro de 2000

“Estrela do crepúsculo (…) O que procura teu olhar na charneca?”
Verso ossiânico citado por Goethe em Werther.


(O Choro do Druida)

Oh! Grande mal se abatera na terra!
Não mais se acende as fogueiras de Beltane;
Não mais se colhe o visco dos carvalhos!
É o fim de Avalon!!

As velhas pedras, a hera se faz dona!
Não mais meus irmãos se reúnem
E saúdam a Grande Deusa Mãe!
É o fim de Avalon!!

Oh, mãe Morgana! Oh!, grande Merlim!
Onde estão as vossas forças, o vosso poder?
A ilha se perderas nas brumas para sempre!
É o fim de Avalon!!


IIº

(Oisím)

O velho bando já não mais se reúne
Debaixo do antigo carvalho.
Não mais o Fianna Éireann
Se encontram nas charnecas.

Oisím, onde se encontra Fingal?
De Ryno? De Alpim?
Onde se encontram os nossos irmãos?
A nossa Alegria?

O que foi feito de nossa Vida?



IIIº

(Cromlech)

Venho ao sagrado círculo de pedra;
De ancestrais tradições.
Sobre este antigo, velho cromlech
Coberto de hera,
Trago minhas parcas oferendas
A grã Deusa.

Venho ao sagrado e antigo henge
Trazer meu presente.
“Não mais os bardos se reúnem
“No Samh’in.
“Não mais, não mais se ateia
“O sacro fogo.

“O povo se esquecera dos vossos favores,
“Ó grande Deusa!
“Não mais se lembram dos feitos
“De Fingal e Oísin.
“Esqueceram o estandarte do dragão
“E de Excalibur.”

Venho, sob a luz da velha lua,
À esquecida
Mesa das minhas ancestrais tradições
E queridas visões
E pedir a velha e ignota deusa
A minha ida à Avalon.

Nenhum comentário:

Biblioteca do Bardo Celta (Leituras recomendadas)

  • Revista Iararana
  • Valenciando (antologia)
  • Valença: dos primódios a contemporaneidade (Edgard Oliveira)
  • A Sombra da Guerra (Augusto César Moutinho)
  • Coração na Boca (Rosângela Góes de Queiroz Figueiredo)
  • Pelo Amor... Pela Vida! (Mustafá Rosemberg de Souza)
  • Veredas do Amor (Ângelo Paraíso Martins)
  • Tinharé (Oscar Pinheiro)
  • Da Natureza e Limites do Poder Moderador (Conselheiro Zacarias de Gois e Vasconcelos)
  • Outras Moradas (Antologia)
  • Lunaris (Carlos Ribeiro)
  • Códigos do Silêncio (José Inácio V. de Melo)
  • Decifração de Abismos (José Inácio V. de Melo)
  • Microafetos (Wladimir Cazé)
  • Textorama (Patrick Brock)
  • Cantar de Mio Cid (Anônimo)
  • Fausto (Goëthe)
  • Sofrimentos do Jovem Werther (Goëthe)
  • Bhagavad Gita (Anônimo)
  • Mensagem (Fernando Pessoa)
  • Noite na Taverna/Macário (Álvares de Azevedo)
  • A Casa do Incesto (Anaïs Nin)
  • Delta de Vênus (Anaïs Nin)
  • Uma Espiã na Casa do Amor (Anaïs Nin)
  • Henry & June (Anaïs Nin)
  • Fire (Anaïs Nin)
  • Rubáiyát (Omar Khayyam)
  • 20.000 Léguas Submarinas (Jules Verne)
  • A Volta ao Mundo em 80 Dias (Jules Verne)
  • Manifesto Comunista (Marx & Engels)
  • Assim Falou Zaratustra (Nietzsche)
  • O Anticristo (Nietzsche)