Sua Majestade, O Bardo

Minha foto
Valença, Bahia, Brazil
Escritor e Professor de Literaturas Anglófonas. Autor do livro "Estrelas no Lago" (Salvador: Cia Valença Editorial, 2004) e coautor de "4 Ases e 1 Coringa" (Valença: Prisma, 2014). Licenciado em Letras/Inglês pela UNEB-Campus Salvador. Falando de mim em outra forma: "Aspetti, signorina, le diro con due parole chi son, Chi son, e che faccio, come vivo, vuole? Chi son? chi son? son un poeta. Che cosa faccio? scrivo. e come vivo? vivo."

sábado, 9 de agosto de 2008

Fragmentos de um Diário - Eleição Municipal de Valença 2008




2008, ano de eleições municipais. Ano de ebulição e de tormentas. Ano em que eu vivo uma de minhas paixões: a política. Principalmente quando a política trata do meu querido e desolado torrão natal.


Em alguns posts anteriores (mais precisamente os de junho), eu deixei alguns cometários sobre o tema. Deixei clara qual é a minha visão do papel do escritor (não nego minha adesão a persperctiva gramsciana do intelectual orgânico e engajado), minhas preferências pela candidatura do atual presidente da CUT-Bahia, Martiniano Costa, a prefeito de Valença e meu desagravo diante da postura do outro postulante a candidatura, cujo jeito causou antipatia e desconfiança como candidato pelo PT, partido ao qual sou filiado e não nego.


Só que fiz estes comentários ainda calor das convenções, quando os dados ainda estavão rolando e as apostas do poquer eleitoral estava sendo feitas. E agora, em pleno mês de agosto, com as candidaturas já registradas e homologadas, as cartas postas na mesa e vendo quando ganhoupor blefe ou porter uma mão forte? Como fica?? Quem eu irei votar?? Isso algum leitor - natural de minha cidade de Valença - pode me perguntar neste momento. É aí que faço uma peuena reflexão no meu blog:


Sobre a candidatura majoritária, o que temos? Apesar de Martiniano ter sido escolhido, ele preferiu renunciar a candidatura. Creio que ele fez a escolha certa. Apesar de que, a princípio, sua candidatura seria vitoriosa este ano (sua ligação com o presidente Lula e o governador Jacques Wagner, alem do que, dos candidatos de 2004, ele foi o único que não se desgastou com o troca-troca de prefeitos nesta última gestão), as ranhuras provocadas durante as eleições interna do PT (fruto de uma postura que eu achei condenável do outro pré-candidato de métodos estalinista e que fez com que ele perdesse aos meus olhos qualquer empatia pela sua campanha) minou a unidade e o prestígio do partido na cidade. Diante deste quadro, é melhor sair por cima (como ele saiu) do que participar de uma campanha que começava problemática. Só lameto que a cidade perdeu um candidato que era sabidamente democrático e socialista e que representa todos aqueles que lutam pelo mais justo, o mais ético e o melhor para Valença.


Então, como ficou a chapa majotirária do PT valenciano? Infelizmente, o outro candidato, de quem eu tinha reservas profundas, se apresentou. O tal médico stalinsita que caiu de para-quedas em valença. E agora, José Ricardo? Devo dizer que ele arrefeceu completamente meu entusiasmo para a eleição deste ano. Contudo, reconheço que ele será um bom teste para minha formação "partisan". Como militante de um partido, creio que o candidato apresentado pela minha agremiação é o que mais se assemelha as minhas convicções. Todavia, eu admito que existe uma grande diferença entre minha posição marxista democrática que defendo e a postura stalinista deste candidato. Felizmente, como o candidato a vice-prefeito é um primo meu do qual tenho confiança na honestidade e no espírito democrático e progressista, a digestão da escolha fica menos amarga.


Quanto a eleição proporcional, eu já decidi. É uma mulher, professora, sindicalista (ex-presidenta da delegacia da APLB na minha cidade) cujas idéias eu comungo e que representa todos valencianos que querem o progresso, democracia e a justiça social. Como não sei se pode divulgar nomes de candidatos num blog sem que isso acarrete penalidades à candidata, só direi que que o número dela é PT650!!! (Assim que sair o site dela, eu divulgo aqui). Com ela eu vou junto sim, por amor a minha querida e amada Valença.


Pois bem. Por enquanto, é só isso que tenho a comentar sobre a política em minha cidade, este ano. Se o candidato a prefeito não ajuda, pelo menos confio no vice e na candidata a vereadora.

Nenhum comentário:

Biblioteca do Bardo Celta (Leituras recomendadas)

  • Revista Iararana
  • Valenciando (antologia)
  • Valença: dos primódios a contemporaneidade (Edgard Oliveira)
  • A Sombra da Guerra (Augusto César Moutinho)
  • Coração na Boca (Rosângela Góes de Queiroz Figueiredo)
  • Pelo Amor... Pela Vida! (Mustafá Rosemberg de Souza)
  • Veredas do Amor (Ângelo Paraíso Martins)
  • Tinharé (Oscar Pinheiro)
  • Da Natureza e Limites do Poder Moderador (Conselheiro Zacarias de Gois e Vasconcelos)
  • Outras Moradas (Antologia)
  • Lunaris (Carlos Ribeiro)
  • Códigos do Silêncio (José Inácio V. de Melo)
  • Decifração de Abismos (José Inácio V. de Melo)
  • Microafetos (Wladimir Cazé)
  • Textorama (Patrick Brock)
  • Cantar de Mio Cid (Anônimo)
  • Fausto (Goëthe)
  • Sofrimentos do Jovem Werther (Goëthe)
  • Bhagavad Gita (Anônimo)
  • Mensagem (Fernando Pessoa)
  • Noite na Taverna/Macário (Álvares de Azevedo)
  • A Casa do Incesto (Anaïs Nin)
  • Delta de Vênus (Anaïs Nin)
  • Uma Espiã na Casa do Amor (Anaïs Nin)
  • Henry & June (Anaïs Nin)
  • Fire (Anaïs Nin)
  • Rubáiyát (Omar Khayyam)
  • 20.000 Léguas Submarinas (Jules Verne)
  • A Volta ao Mundo em 80 Dias (Jules Verne)
  • Manifesto Comunista (Marx & Engels)
  • Assim Falou Zaratustra (Nietzsche)
  • O Anticristo (Nietzsche)