Sua Majestade, O Bardo

Minha foto
Valença, Bahia, Brazil
Escritor e Professor de Literaturas Anglófonas. Autor do livro "Estrelas no Lago" (Salvador: Cia Valença Editorial, 2004) e coautor de "4 Ases e 1 Coringa" (Valença: Prisma, 2014). Licenciado em Letras/Inglês pela UNEB-Campus Salvador. Falando de mim em outra forma: "Aspetti, signorina, le diro con due parole chi son, Chi son, e che faccio, come vivo, vuole? Chi son? chi son? son un poeta. Che cosa faccio? scrivo. e come vivo? vivo."

segunda-feira, 28 de julho de 2008

Fabio Luz: Um escritor valenciano a serviço do povo


Fábio Luz: Um escritor valenciano a serviço do povo


Ricardo Vidal, 30 anos, escritor.
Autor do livro “Estrelas no Lago”.
Estuda Letras/Inglês na UNEB-Salvador.
Blog:
www.bardocelta.blogspot.com.
E-mail: cve_livros@hotmail.com


No mês que se comemora o Dia do Escritor e numa época em que a literatura valenciana cada vez se destaca (com lançamento de livros em praça pública, escritores ganhando prêmios de literatura ou sendo membros de Academias de Letras), vale a pena lembrar de nomes dos outros escritores valencianos que construíram este caminho. Nomes como o de Fábio Luz.


Fábio Lopes dos Santos Luz nasceu em Valença/BA no dia 31 de julho de 1864 e faleceu no Rio de Janeiro/RJ no dia 09 de maio de 1938. Foi escritor, médico, educador e ativista social; colocando sua inteligência e talento a serviço das camadas mais pobres a população.

Dr. Fábio Luz viveu toda sua infância e adolescência em Valença, de onde saiu aos 19 anos para estudar Medicina em Salvador. Suas lembranças de como se vivia então a maioria do povo valenciano o levaram a participar ativamente dos movimentos abolicionista e republicano – ao acreditar que os problemas sociais eram causados do regime imperial. Formado como médico higienista em 1888, Dr. Fábio Luz mudou-se para o Rio de Janeiro (então capital brasileira), aonde viria trabalhar como médico e inspetor escolar. Seu desvelo com que tratava os doentes pobres fez com que ganhasse o respeito e admiração do governo.


No Rio de Janeiro, entra em contacto com o Anarco-comunismo e passa a militar na imprensa operária, escrevendo para jornais como “A Plebe”, “Spartacus” e “Voz da União”. Junto com outros intelectuais de esquerda (como Rocha Pombo e José Veríssimo), Fábio Luz chegou a organizar uma “Universidade Popular de Ensino Livre”, experiência de alguns meses que levou educação científica e política aos trabalhadores. Intelectual respeitado pelas elites e querido pelo povo, dedicou os últimos anos de sua vida na luta pela revolução social e à crítica ao Bolchevismo. É considerado um dos maiores intelectuais do anarquismo brasileiro, representante da pedagogia libertária e um dos precursores da luta ambiental, sendo reverenciando não só no Brasil como no mundo.


LITERATURA SOCIAL: Além dos artigos que publicou na impressa operária, Fábio Luz escreveu vários romances e novelas. Ele é autor dos livros Novelas (1902), Ideólogo (1903 - romance), Os emancipados (1906 - romance, sua obra-prima), Virgem-Mãe (1908), Elias Barrão e Xica Maria (1915), Nunca! (1924) Manuscrito de Helena (1951 – publicação póstuma). Nos seus textos se destaca a temática de crítica social e a propaganda dos ideais anarquistas. Na apreciação do seu amigo José Veríssimo, Fábio Luz é citando, junto com Graça Aranha, como um dos representantes do romance social. Dr. Fábio Luz foi eleito membro da Academia Carioca de Letras.


Bibliografia
FENERICK, José Adriano. A literatura anarquista dos anos 1900/20: um estudo da recepção em dois quadros críticos. In MNEME – Revista Virtual de História, nº 10, V. 5, abr/jun. de 2004.
FÁBIO LOPES DOS SANTOS LUZ. Wikipedia. Disponível em http://pt.wikipedia.org/wiki/F%C3%A1bio_Lopes_dos_Santos_Luz. Acessado em 29 de junho de 2008, às 02h02.
FÁBIO LUZ – Dados biográficos. Disponível em http://www.nodo50.org/insurgentes/textos/brasil/17fabioluz.htm. Acessado em 29 de junho de 2008, às 02h08.
ANARCOEFEMÈRIDES DEL 31 DE JULIOL. Luz – Mahé – Simon - Bianco. Disponível em http://anarcoefemerides.balearweb.net/archives/20070731. Acessado em 29 de junho de 2008, às 02h06.
BRASIL-CELIP: Foi fundada a Biblioteca Social Fábio Luz. Disponível em http://www.ainfos.ca/02/aug/ainfos00234.html. Acessado em 29 de junho de 2008, às 02h02.


Salvador, 28 de julho de 2008. (04h30)

Nenhum comentário:

Biblioteca do Bardo Celta (Leituras recomendadas)

  • Revista Iararana
  • Valenciando (antologia)
  • Valença: dos primódios a contemporaneidade (Edgard Oliveira)
  • A Sombra da Guerra (Augusto César Moutinho)
  • Coração na Boca (Rosângela Góes de Queiroz Figueiredo)
  • Pelo Amor... Pela Vida! (Mustafá Rosemberg de Souza)
  • Veredas do Amor (Ângelo Paraíso Martins)
  • Tinharé (Oscar Pinheiro)
  • Da Natureza e Limites do Poder Moderador (Conselheiro Zacarias de Gois e Vasconcelos)
  • Outras Moradas (Antologia)
  • Lunaris (Carlos Ribeiro)
  • Códigos do Silêncio (José Inácio V. de Melo)
  • Decifração de Abismos (José Inácio V. de Melo)
  • Microafetos (Wladimir Cazé)
  • Textorama (Patrick Brock)
  • Cantar de Mio Cid (Anônimo)
  • Fausto (Goëthe)
  • Sofrimentos do Jovem Werther (Goëthe)
  • Bhagavad Gita (Anônimo)
  • Mensagem (Fernando Pessoa)
  • Noite na Taverna/Macário (Álvares de Azevedo)
  • A Casa do Incesto (Anaïs Nin)
  • Delta de Vênus (Anaïs Nin)
  • Uma Espiã na Casa do Amor (Anaïs Nin)
  • Henry & June (Anaïs Nin)
  • Fire (Anaïs Nin)
  • Rubáiyát (Omar Khayyam)
  • 20.000 Léguas Submarinas (Jules Verne)
  • A Volta ao Mundo em 80 Dias (Jules Verne)
  • Manifesto Comunista (Marx & Engels)
  • Assim Falou Zaratustra (Nietzsche)
  • O Anticristo (Nietzsche)